A importância do desenvolvimento de competências individuais para o profissional de gastronomia:

subsídios para empreender

  • William Roslindo Paranhos UniSociesc
Palavras-chave: Gastronomia, Competências, Skills, Empreendedorismo

Resumo

No contexto contemporâneo, onde cada vez mais se acirram as disputas por oportunidades únicas no mundo dos negócios e no mercado de trabalho, é imprescindível que os indivíduos apresentem sua singularidade a fim de obterem sucesso. No ramo da gastronomia, uma das áreas do saber mais antigas do mundo, tal necessidade não se diferencia e, inclusive, se torna ainda mais necessária, observando-se as inúmeras possibilidades de se empreender dentro deste contexto. Para tanto, a técnica já não é mais algo que promova destaque dentro deste contexto competitivo; é necessário ir além. O desenvolvimento de competências individuais figura como sendo aquele que singulariza a postura e o sucesso daqueles que tem por objetivo empreender no ramo da gastronomia. Desta maneira, surge o objetivo deste estudo, que seja identificar de que forma o desenvolvimento de competências individuais instrumentaliza o profissional de gastronomia à empreender. Para tal foi realizada uma pesquisa teórica por meio de uma revisão sistemática da literatura, seguida dos resultados e análise descritiva acerca das publicações mais relevantes sobre o tema. O objetivo foram alcançando, ficando evidenciada a necessidade de se desenvolverem as competências individuais, quando estas facilitam a tarefa do empreender, com destaque para a gastronomia. Considera-se a discussão acerca do assunto pertinente, notando a necessidade de falar em inovações ligadas ao empreendedorismo, bem como possibilitando novas discussões em uma área que produz um número limitado de conhecimento científico, como é o da gastronomia. Este artigo propõe uma tratativa interdisciplinar, no entendimento de que a gastronomia possua esta característica.

Referências

ALONSO, A. D. KOK, S. O'BRIEN, S. ‘We are only scratching the surface’ – a resource-based and dynamic capabilities approach in the context of culinary tourism development. Tourism Recreation Research, [s.l.], v. 43, n. 4, p.511-526, 11 maio 2018. Informa UK Limited.
BAGGIO, A. F. BAGGIO, D. K. Empreendedorismo: Conceitos e Definições. Rev. de Empreendedorismo, Inovação e Tecnologia, 1(1): 25-38, 2014.
CHIAVENATO, I. Empreendedorismo – Dando asas ao espírito empreendedor. 4ª ed. Barueri, São Paulo: Manole, 2012.
CRONIS, G. T. et al. Análise do perfil esperado do profissional formado em gastronomia da universidade federal de Pelotas, pelos empresários e donos de restaurantes na cidade de Pelotas. XXII Congresso de Iniciação Científica da Universidade Federal de Pelotas. Pelotas, 2013.
CRUZ, R. M. SCHULTZ, V. Avaliação de competências profissionais e formação de psicólogos. Arquivos Brasileiros de Psicologia, v. 61, n. 3, 2009.
DA VINCI, L. A última ceia. 1498. Original de arte, 4,6m x 8,8m.
DESAULNIERS, J. B. R. Formação, competência e cidadania. Educação e Sociedade, v. 18, n. 60, p. 51-63, 1997.
DORNELAS, J. C. A. Empreendedorismo corporativo: como ser empreendedor, inovar e se diferenciar na sua empresa. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier,2003.
FEUERBACH, A. O Banquete de Platão. Óleo sobre tela, 400 x 750 cm, Alte Nationalgalerie, Berlim, 1871-1874.
FREIXA, D. CHAVES, G. Gastronomia no Brasil e no mundo. Ed. Senac Nacional, 2ªed. Rio de Janeiro: 2012.
GODOY, Arilda Schmidt et al. O desenvolvimento das competências de alunos formandos do curso de Administração: um estudo de modelagem de equações estruturais. Revista de Administração da USP, v. 44, n. 3, p. 265-278, 2009.
HEGARTY, J. A. Achieving Excellence by Means of Critical Reflection and Cultural Imagination in Culinary Arts and Gastronomy Education. Journal Of Culinary Science & Technology, Irlanda, v. 2, n. 9, p.55-65, 09 jun. 2011.
KOCH, J. et al. Organizational Creativity as an Attributional Process: The Case of Haute Cuisine. Organization Studies, [s.l.], v. 39, n. 2-3, p.251-270, nov. 2017. SAGE Publications.
LASATER-WILLE, A. The presentation of the chef in everyday life: socializing chefs in lima, peru. Revista de Administração de Empresas, [s.l.], v. 58, n. 3, p.233-243, jun. 2018. FapUNIFESP (SciELO).
METAXAS, T. KARAGIANNIS, D. Culinary tourism in greece: can the past define the future? Dimensions of innovation, entrepreneurship and regional development. Journal Of Developmental Entrepreneurship, [s.l.], v. 21, n. 03, p.1650018-165001820, set. 2016. World Scientific Pub Co Pte Lt.
MONTEIRO, R. Z. Escolas para cursos de gastronomia: espaços, técnicas e experiências. 2009. 294 p. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo) - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.
ROCHA, Fernando Goulart. Gastronomia: ciência e profissão. Arquivos brasileiros de alimentação, Recife, v. 1, n. 1, p.3-20, mai./jun. 2015.
SAMPAIO, R. F. MANCINI, M. C. Estudos de revisão sistemática: um guia para síntese criteriosa da evidência científica. Revista Brasileira de Fisioterapia, São Carlos/sp, v. 11, n. 1, p.83-89, jan. 2007.
SCHUMPETER, J. A. A Teoria do Desenvolvimento Econômico: uma investigação sobre lucro, capital, crédito, juro e o ciclo econômico. Rio de Janeiro: Nova Cultural, 1982.
SEBRAE. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas. Empreender
em Gastronomia: Perfil de Negócios de Gastronomia. Recife: 2014.
SILVEIRA, D. T; CÓRDOVA, F. P. Unidade 2 – A pesquisa científica. Métodos de pesquisa, v. 1, 2009.
SOUZA, D. T. B. Gestão e Empreendedorismo. 1. Ed. Aracaju: UNIT, 2011. V.300. 176p.
STIERAND, M. DÖRFLER, V. MACBRYDE, J. Creativity and Innovation in Haute Cuisine: Towards a Systemic Model. Creativity And Innovation Management, [s.l.], v. 23, n. 1, p.15-28, 13 jan. 2014. Wiley.
VARGAS-SÁNCHEZ, A. LOPEZ-GUZMAN, T. Contemporary management and innovation: Learning from the gastronomy sector. Journal Of Food, Agriculture & Environment, Espanha, v. 13, n. 2, p.32-38, 30 mar. 2015.
Publicado
2020-02-10